Via Franca

Via Franca

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

2ª Revirada: Circo



Vocês querem marmelada????
Vocês querem palhaçada...
Entre 8 e 12 de dezembro, o Vale do Anhangabaú e imediações recebem lona e atividades circenses de rua em homenagem ao Dia Nacional do Palhaço.
Eu retirei o texto a seguir, do site www.catracalivre.folha.uol.com.br
Vale a pena conferir, o site e o evento...

"Com o objetivo de celebrar o Dia do Palhaço (10 de dezembro), a Secretaria Municipal de Cultura promove a segunda edição da Revirada, desta vez, com o tema Circo. O local escolhido para abrigar a festa foi o Vale do Anhagabaú que receberá artistas brasileiros e latino-americanos em uma lona especialmente montada em frente ao prédio dos Correios, além de diversas atividades de rua que avançam pelo Bulevar São João.
Na abertura desta Revirada Circo, dia 8 de dezembro, acontece uma performance, às 20h, do grupo Acrobático Fratelli, de São Paulo, nas fachadas de prédios do Vale. No dia seguinte, às 13h, está programado o espetáculo interativo “La mutante varieté”, dos uruguaios do Pambazos Bros. Trata-se de um cabaré de variedades compostos de números cômicos que recorrem ao humor das feiras de horrores itinerantes que visitavam as cidades no começo do século 20.
Do Chile, o grupo El Kote traz o espetáculo “Aquí el único animal soy Yo” (Aqui o único animal sou eu). O solo, que será apresentado dia 10 de dezembro, às 15h, reúne técnicas de malabarismo e improvisação.
O argentino Chacovachi faz sua segunda apresentação em São Paulo, desta vez trazendo o espetáculo “Cuidado!! Un payaso malo, puede arruinar tu vida” (Cuidado, um palhaço mau pode arruinar sua vida ). A performance que será apresentada dia 10, às 16h30 e dia 11, às 13h, estreou em 2005 no Festival de Teatro de Rua de Valladolid, cidade espanhola. Com 24 anos de carreira é um dos mais tradicionais palhaços de rua da Argentina e teve como posto fixo durante 16 anos a praça França de Buenos Aires, capital daquele país.
Do Brasil, marcam presença na Revirada Circo os cariocas do Coletivo Nopok, criado em 2007, a partir da pesquisa de seus integrantes sobre o universo do circo e da comicidade. Para o evento, o grupo traz “No pocket – um espetáculo para todos os bolsos”, que utiliza técnicas de malabares e técnicas de equilíbrio, ou seja, atividades com base no virtuosismo técnico. Apresentações de grupos conhecidos do grande público paulistano como LaMínima e Irmãos Becker também integram a programação.
Em 10 de dezembro, quando se comemora o Dia do Palhaço, que desde 1984 é festejado em diversas capitais brasileiras, a Cooperativa junto com o Centro de Memória do Circo, espaço da Secretaria Municipal de Cultura localizado na Galeria Olido, irá trocar a placa da rua Abelardo Pinto – o nome verdadeiro do palhaço Piolin -, para uma comemorativa. Para tal comemoração haverá uma invasão de palhaços de todas as modalidades pelo centro da cidade, junto com monociclos."
(fonte:http://catracalivre.folha.uol.com.br/2010/11/2%C2%AA-revirada-circo-ocupa-o-vale-do-anhangabau/)

Serviço:
Local: Vale do Anhangabaú - região central da cidade de São Paulo
Metrôs Anhangabaú (Linha Vermelha) e São Bento (Linha Azul)
De 08 a 12 de dezembro
Horários e programação diversa.
Grátis.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Boa música, de graça, no SESI

O Projeto "Música em Cena" do Centro Cultural FIESP/Ruth Cardoso (o famoso Teatro do SESI da Avenida Paulista), traz, aos domingos (sempre ao meio-dia), uma seleção de boas apresentações musicais, sempre com uma qualidade indiscutível.
A programação para esse mês já saiu.
Confiram:

05/12 - Coro de Câmera de Piracicaba e Camerata Mahle
Há 11 anos o coro formado por nove sopranos, sete contraltos, seis tenores e seis baixos vem extasiando plateias com um repertório maiúsculo que inclui Bach, Haendel, Haydn, Beethoven, Schubert e Mahle. O conjunto obedece à regência de Ernst Mahle e traz Eliana Asano como pianista acompanhadora e Cidinha Mahle como preparadora. Pela primeira vez o coro se apresenta acompanhado pela Camerata Mahle.
Programa:
Trechos de “O Messias” (Händel)
Noite de Natal (Mahle)
Canções tradicionais de Natal: "Pela noite de Natal", "Entre o boi e o burrinho", "Vinde Pastorinhas", "Eis os reis" e "Glória, Glória".
* Encenação do Presépio

12/12 - Duo Benê Chiréia e Marcelo Ricciardi
Originários da Troupe da Gaita, grupo instrumental consagrado em Curitiba, Benê Chiréia (harmônica) e Marcelo Ricciardi (violão) têm diferentes formações musicais, embora ambas enraizadas no blues e no rock. Donos de estilos próprios, eles executam um repertório eclético — sambas e choros dos anos 40 e 60, tango, bolero, jazz e blues — demonstrando toda a versatilidade destes dois grandes talentos.
Programa:
Astor Piazzolla (1921– 1992)
Adiós Nonino
Angelo Russo Reale (1903 – 1994)
Bicho Carpinteiro
Maurice Ravel (1875 –1937)
Bolero
Waldyr Azevedo (1923-1980)
Brasileirinho
Duke Ellington (1899-1974)
Caravan
Abel Ferreira (1915-1980)
Chorando Baixinho
Angel Viloldo (1864-1919)
El Choclo
Daniel Alomia Robles (1871-1942)
El Condor Pasa
Duke Ellington (1899-1974)
In a Sentimental Mood
Luis Bonfá (1922-2001) e Antonio Maria (1921-1964)
Manhã de Carnaval
Ramon Sixto Rios (1913-1994)
Mercedita
Raul de Barros (1915-2009)
Na Glória
Carlos Gardel (1890-1935) e Alfredo Le Pera (1900 -1935)
Por Una Cabeza
Fred Williams (1926)
Uma Farra na Churrascaria
Baden Powell (1937- 2000) e Paulo César Pinheiro (1949)
Vou Deitar e Rolar

19/12 - Cantilena Ensemble
A orquestra de câmara paulistana revisita o grande compositor argentino Astor Piazzolla numa de suas obras de maior sucesso, As Quatro Estações Porteñas, com participação especial da pianista Patricia Vanzella. Fundado pela violinista Maria Fernanda Krug, em 2006, o grupo de 12 músicos tem se apresentado em diversos estados brasileiros, arrebatando plateias e sendo aclamado por público e crítica.
Programa:
Georg Friedrich Händel (1695-1759)
Passacaglia* (arr. Ernst Mahle)
4 momentos (Ernani Aguiar)
Bachianas Brasileiras nº4 (Villa-Lobos)
Prelúdio (Villa-Lobos)
"Las Cuatro Estaciones Porteñas" (Piazzolla)
Primavera Porteña
Verano Porteño
Otoño Porteño
Invierno Porteño

Serviço:
Centro Cultural Fiesp - Ruth Cardoso (em frente ao metrô Trianon Masp)
Avenida Paulista, 1313 - Cerqueira César - São Paulo - SP
CEP: 01311-923 - Fone: (11) 3146-7405/06
Domingos - às 12h
Entrada Franca.
Livre.
A distribuição dos ingressos tem início a partir da abertura da bilheteria, no dia do espetáculo – domingo, a partir das 11 horas. São distribuídos dois ingressos por pessoa.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Teatro: "Quem tem medo do Curupira?"



Domingo passado, eu estava caminhando à tarde, pela Avenida Paulista, sem muito o que fazer e resolvi dar uma conferida na programação do teatro do SESI.
Vi que ainda haviam lugares disponíveis para uma peça infanto-juvenil chamada "Quem tem medo do Curupira?".
Achei o título interessante e resolvi entrar (era de graça...).
Entrei no teatro, peguei um programa e, de cara, algo me chamou a atenção: mais de 80% da plateia era composta de... adultos!!!!!
Li as informações do panfleto e vi que a sua autoria e as suas composições eram do ZECA BALEIRO!!!!!
Surpresa total.
Vi um espetáculo mágico, feito de fato para crianças e adolescentes, mas que agradou a todos os adultos presentes.
Uma variação musical impressionante, viajando pelo universo do côco, rock pesado, reaggae e até pelo rap, que amarra situações quixotescas de alguns entes mágicos da nossa cultura popular (a "monstraiada", na fala do curupira).
Os atores também possuem um bom jogo de cena e interagem bem com o público.
As piadinhas são para o público teen, mas também divertem os menos exigentes (assim como eu...).
Vale a pena conferir!!!!

Sinopse:
Em qualquer lugar das matas brasileiras, cinco criaturas encantadas ressentem-se da sua imagem minguada. Sua função, que antigamente era importante e temerosa de proteção da água, animais e vegetação desses ambientes selvagens, hoje se restringem mais e mais, desaparecendo até da literatura e do imaginário.
Com isso em mente e em profunda crise de autoestima, Saci, Curupira, Caipora, Boitatá e Mãe d'Água tomam uma decisão radical e seguem em direção ao meio urbano. Se a magia desses monstros perdeu efeito na mata, talvez seja eficaz ali.
Sem querer ser didático, o texto propõe uma reflexão sobre a própria migração interna e a imensa mudança de valores que ela acarreta.
Zeca Baleiro compôs texto e canções desta obra a partir de sua própria infância povoada dessas lendas, assombrações e seres fantásticos que habitavam matas e florestas. A encenação dirigida por Débora Dubois, com o reforço da cenografia de Duda Arruk e figurinos de Isabela Teles e Edson Braga, cria no palco um ambiente de terror e medo com o propósito de divertir e assustar o público infanto-juvenil, mas que certamente vai agradar também os adultos.
Nas palavras do próprio autor, "o musical recorre à fantasia eterna dos entes mágicos, que tem correspondentes em todas as culturas do mundo."

Serviço:
Local: Teatro do SESI – São Paulo - Av. Paulista, 1313 - Metrô Trianon-Masp.
Até 12 de dezembro de 2010 – sábados e domingos, às 16h.
Duração: 90 minutos
Entrada Franca.
A distribuição dos ingressos tem início a partir da abertura da bilheteria no mesmo dia do evento. Horário de funcionamento da bilheteria: de quarta-feira a sábado, das 12h às 20h30; domingo, das 11h às 20h.
Espetáculo não recomendado para menores de 10 anos. Será permitida a entrada do menor somente acompanhado dos pais ou responsável legal após preenchimento de um termo de autorização.
Mais informações: www.sesisp.org.br

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

"Você Vai Conhecer o Homem dos Seus Sonhos"



Cenário: Inglaterra.
Gemma Jones, Naomi Watts, Anthony Hopkins e Antonio Banderas.
Na direção, Woody Allen.
Muitas neuroses e uma história picante, com um final surpreendente...
Esse é o filme "Você Vai Conhecer o Homem dos Seus Sonhos", que entrou em cartaz na semana passada.
Para quem gosta do típico Woody Allen, torna-se um filme irresistível e marcante.
Já para os demais, digo que é uma comédia romântica bem leve e inteligente.
Vale a pena conferir...

Sinopse:
Alfie (Anthony Hopkins) é um homem de 70 anos que se envolve com uma ex-prostituta muito mais nova do que ele, após divorcia-se de Helena (Gemma Jones), com quem foi casado por 40 anos. Sally (Naomi Watts), filha do casal recém-divorciado, é casada com Roy (Josh Brolin). Roy é frustrado pelo fracasso da publicação do segundo livro, após o sucesso do primeiro. O medo da fama passageira tornou a convivência difícil e atrapalhou o sonho de Sally em ser mãe.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Reinauguração do Sesc Belenzinho

Acontece nesse próximo final de semana a reinauguração do Sesc Belenzinho, com várias atividades ligadas ao lazer, esportes e cultura.
Eu separei algumas atrações como dicas (aquelas que eu já assisti ou conheço).
Confiram:
Música: show com o violonista Yamandu Costa (dia 05/12 às 17h30).

Teatro: "Mary Stuart", com Denise Stoklos (dia 04/12 às 16h);
"Aldeotas", com Gero Camilo e Caco Ciocler (dia 05/12 às 13h30).

Teatro infantil: "Pedro e o Lobo", com o grupo de bonecos Giramundo (dia 05/12 às 16h).

Dança: "Mozartíssimo" (com a Cia. Cisne Negro), dia 04/12 às 16h;
"Adoniran" (com Ballet Stagium), dia 05/12 às 10h;
"Corpo Vivo" (direção de Ivaldo Bertazzo), dia 05/12 às 13h.

Circo: "Clássicos do Circo", com o grupo Parlapatões (dia 05/12 às 11h30).

Serviço:
Sesc Belenzinho
Rua Padre Adelino, 1.000 (a duas quadras do Metrô Belém).
Dias 04 e 05 de dezembro (sábado e domingo).
Grátis.
Mais informações www.sescsp.org.br

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Homenagem a Pergolesi no Mosteiro São Bento



Hoje, dia 29 de novembro, com apoio do Instituto Italiano di Cultura de São Paulo, acontecerá um concerto em homenagem ao terceiro centenário de nascimento do compositor italiano de óperas e música sacra Giovanni Battista Pergolesi.
Se em vida, apesar dos numerosos reconhecimentos, a fama de Pergolesi era quase exclusivamente limitada ao ambiente musical napolitano e romano, não surpreende que este compositor, morto muito jovem (com apenas 26 anos, vítima de uma tuberculose), com uma carreira artística de apenas cinco anos e, no entanto, capaz de deixar algumas composições inesquecíveis, tenha podido influenciar poetas e artistas que no curso do século XIX reinterpretaram-no em chave romântica.
A música de Pergolesi ainda goza de vasta popularidade e é frequentemente executada nos teatros e nas salas de concerto.
Nessa segunda-feira, no Mosteiro de São Bento, vai ser apresentadapelo Coral de Monges de São Bento, acompanhados pela Filarmônica Vera Cruz, sob a regência do conhecidíssimo maestro Júlio Medaglia. O solista será o italiano Emmanuele Baldini (da OSESP) e a soprano Artemisa Repa.
E o que é melhor: totalmente de graça (para garantir um bom lugar, vale a pena reservar pelo telefone 3660-8888).

Serviço:
Mosteiro de São Bento de São Paulo
Largo de São Bento, s/nº
Em frente à Estação São Bento do Metrô
Entrada Franca
Informações e reservas pelo telefone:3660-8888

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

XII Festa do Livro da USP (Feira de Livros da FFLCH 2010)

Todo morador de São Paulo que gosta de ler, sabe que uma das melhores oportunidades para comprar livros, com preços mais acessíveis, é a Festa do Livro da USP, que ocorre anualmente na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP). Não é nenhum segredo que livro é muito caro por aqui, por isso a feira é a melhor oportunidade para ampliar nossa biblioteca particular sem gastar tanto (ou gastando um pouco menos). O evento acontece entre os dias 24, 25 e 26 de novembro.
Estarão presentes quase 120 editoras que, segundo o regulamento de participação, devem vender seus livros com desconto mínimo de 50%. O professor Plínio Martins Filho, presidente da Edusp, explica que este é o preço que o consumidor pagaria se comprasse diretamente das editoras, sem os gastos intermediários de livraria e distribuição. Em 2009, as 112 editoras participantes venderam juntas cerca de 150 mil livros.

Serviço:
Local: vão do prédio da História, na FFLCH
Rua do Lago, 717, Cidade Universitária.
A entrada é franca.
Mais informações: (11) 3091-1617

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Terrance Simien and the Zydeco Experience



Eu estava de bobeira no Youtube e resolvi procurar alguma coisa sobre música folclórica norte-americana, então me lembrei de um show maravilhoso que vi no Bourbon Street Festival (na faixa) desse ano, no Parque do Ibirapuera, com o fantástico Terrance Simien e a banda "The Zydeco Experience" e conferi esse vídeo.
Eles tocam um estilo bem característico do Sul dos EUA, chamado zydeco (ou "cajun music").
Da Louisiana para o meu blog.
Sem preconceitos, confiram!!!
É apaixonante...

Cinema africano: "O Homem Que Grita"



Depois de um longo hiato, uma produção africana volta a ser exibida no Brasil, com "Um Homem Que Grita", dirigido pelo chadiano Mahamat-Saleh Harcun, que o Reserva Cultural (localizado no Edifício da Gazeta) apresenta exclusivamente. Praticamente desconhecida para nós brasileiros, a cinematografia africana possui particularidades como a do caso nigeriano, onde há uma imensa produção (inclusive maior do que em Hollywood e Bollywood), porém nenhuma sala de cinema no país inteiro - toda a produção é voltada para o consumo doméstico.
Durante a era colonial, a África foi representada no cinema exclusivamente por cineastas ocidentais, quase sempre como um lugar místico e exótico, pouco revelando sua identidade e realidade. Nas colônias francesas, por exemplo, era proibida a realização de filmes locais. Desta forma, o olhar do povo africano ficava escondido, salvas algumas exceções como Afrique Sur Seine, considerado o primeiro filme dirigido por um africano negro, que explorava as dificuldades de um africano viver na França durante os anos 50.
Apesar deste empecilhos, muitos diretores europeus voltaram o seu olhar para o Continente Negro tentando expor ao mundo o que realmente acontecia por lá. Um deste cineastas foi o francês Jean Rouch, que em documentários como Eu, Um Negro e Jaguar (ambos lançados em DVD), entre outros, desafiava a imagem que os colonizadores tentavam transmitir ao mundo.
Em "Um Homem Que Grita", que assisti nesse final de semana, pude perceber a riqueza de detalhes e a beleza da fotografia (mesmo quando é retratada apenas a periferia da cidade em destaque, no Chade).
É um filme sensível, um drama, que guarda um grande emoção (de arrancar lágrimas dos olhos) no seu final, destacando um continente em guerra, sem mostrar sequer uma batalha (fantástica essa escolha, pois mesmo sem as cenas do conflito, consegue nos colocar dentro dele).
Fui preparado para um grande filme. Saí refletindo sobre muitos aspectos, mas com uma grande certeza: vi, de fato, um grande filme...

Sinopse:
Adam (Youssouf Djaoro) tem 60 anos de idade, é ex campeão de natação, e há 40 anos trabalha com guardião de piscina de um hotel de luxo situado no Chade, na África. Contudo, investidores chineses compram o estabelecimento e ele se vê obrigado a ceder a sua vaga para seu filho Abdel (Diouc Koma), situação que o incomoda bastante por ver nela um declínio social. Além de estar diante deste conflito pessoal, seu país passa por uma guerra civil com rebeldes ameaçando o governo que faz um apelo à população: ajudar com dinheiro ou enviar filhos em idade para representar o país em combate. Assim, o líder do bairro pede que Adam dê sua contribuição, mas ele não tem dinheiro, só tem o filho.
- Vencedor do Prêmio do Júri no Festival de Cannes 2010
- Vencedor do Prêmio Humanidade na Mostra Internacional de Cinema de SP

Serviço:
Reserva Cultural
Avenida Paulista, 900. Térreo Baixo
(entre as estações Trianon Masp e Brigadeiro do metrô)
www.reservacultural.com.br
Fone: (11) 3287-3529

"UM HOMEM QUE GRITA"
(Chade / Bélgica / França - 2010) – 92 minutos.
Sala 1
15h20 - 17h10 - 19h00 - 21h00 - Sáb. 22h50
Gênero: Drama
Direção: Mahamat-Saleh Haroun
Elenco: Youssouf Djaoro , Diouc Koma , Emile Abossolo M'bo

Teatro: últimas apresentações de "Casting"



Encerra-se nesse final de semana, no Teatro Nair Bello (Shopping Frei Caneca), a temporada da peça "Casting", do russo Aleksandr Gálin.
A montagem brasileira é fantástica, com bons atores (com grande destaque para Caco Ciocler) e muito engraçada.
Eu assisti no sábado passado e me surpreendi, principalmente pela longa duração do espetáculo, sem ser jamais cansativo.
Antes de levar as crianças e os mais puritanos, destaco que há cenas de nudez feminina (total e frontal) e muitos palavrões, que em nenhum momento soaram como apelativos (estavam muito bem inseridos no contexto geral da mesma).
Casting é uma comédia de costumes sobre os testes realizados em um velho cineteatro de uma cidade russa para a seleção do elenco feminino de um grande espetáculo a ser produzido por japoneses em Singapura.
Conta com tradução de Aimar Labaki e Elena Vássina, direção geral de produção de Alexandre Brazil. com os atores Caco Ciocler, Aline Moreno, Bete Dorgam, Bia Toledo, Flávio Tolezani, Heitor Goldflus, Nani de Oliveira, Natalia Gonsales, Nicolas Trevijano, Ricardo Oshiro e Selma Luchesi.
Só até esse domingo, hein!!!!

Serviço:
Local: Teatro Nair Bello - Shopping Frei Caneca (Rua Frei Caneca, 569 – Consolação)
Até 28 de novembro de 2010
Horários: quintas, às 21h30; sextas, sábados e domingos, às 20h (sessões extras na 5ª e no sábado)
Preço: Quintas e Sextas R$ 20,00 e Sábados e Domingos R$ 30,00.
Aceita cartões de crédito e débito: Visa, Mastercard e AmericanExpress.
Horário de funcionamento da bilheteria: terça-feira à Sábado, das 15h às 21h30; domingo das 14h30 às 20h00
http://www.ingresso.com.br/
Informações ao público: (11) 3472-2414

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

5ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul

Reproduzo aqui o email que recebi da profª. Helena, de geografia, lá do Mater:
"Convido todos para a Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, que acontece em São Paulo, de 19 a 25 de novembro, no Cinesesc e na Cinemateca Brasileira.
O evento chega à sua quinta edição destacando uma homenagem ao ator argentino Ricardo Darín (que estará presente em São Paulo e conversa com o público no dia 20/11, sábado, às 19h00, na Cinemateca Brasileira), a Retrospectiva Histórica Direito à Memória e à Verdade, com títulos clássicos da cinematografia sul-americana, e uma mostra Contemporânea, que exibe diversas obras premiadas internacionalmente e inéditas no país.
No total, são 41 títulos programados, representando dez países da América do Sul: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.
A programação tem entrada franca e inclui sessões com audiodescrição e closed caption, garantindo o acesso a pessoas com deficiência visual e ou auditiva.
Mais informações encontram-se no endereço: www.cinedireitoshumanos.org.br."

Serviço:
A 5ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul promove sua programação em 20 capitais brasileiras: Aracaju (10-16/12), Belém (25-28/11 e 2-5/12), Belo Horizonte (13-19/12), Brasília (16-23/11), Cuiabá (10-18/11), Curitiba (17-23/11), Fortaleza (8-14/11), Goiânia (3-9/12), João Pessoa (11-18/11), Maceió (29/11-9/12), Manaus (29/11-5/12), Natal (18-25/11), Porto Alegre (23-28/11), Recife (6-12/12), Rio Branco (6-12/12), Rio de Janeiro (30/11-5/12), Salvador (3-9/12), São Luís (29/11-5/12), São Paulo (19-25/11) e Teresina (11-17/11).
Realizado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, com produção da Cinemateca Brasileira e patrocínio da Petrobras através da Lei Rouanet, o evento é dedicado a obras que abordam questões referentes aos Direitos Humanos, produzidas recentemente nos países sul-americanos. Entre outros, estão presentes na programação temas como o direito à terra, ao trabalho, à inclusão social, à diversidade étnica, à diversidade religiosa, à solidariedade intergeracional da cidadania LGBT, o direito à memória e à verdade, direitos dos povos indígenas, das pessoas com deficiência, da pessoa idosa, da criança e do adolescente, da população carcerária, da população afrodescendente e dos refugiados.

Locais:
Cinemateca Brasileira
Sala Petrobras | 110 lugares
Largo Senador Raul Cardoso, 207
Vila Clementino | 04021-070
(11) 3512-6111

CineSesc
329 lugares
Rua Augusta, 2.075
Cerqueira César | 01413-000
(11) 3087-0516

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Revista piauí - 50 edições



Sou leitor assíduo de algumas publicações.
Reservo sempre uma parte do meu salário para a compra mensal de algumas delas.
Dessas, vou destacar uma, que nesse mês completa 50 edições: a revista piauí (com "p" minúsculo mesmo).
É um publicação bem interessante, mensal, que traz boas e longas reportagens sobre os assuntos abordados.
Muitos artigos lembram crônicas ou pequenos contos, tal descaracterização que o texto jornalístico apresenta nessa revista.
Foi idealizada pelo documentarista João Moreira Salles e é editada pela Editora Alvinegra.
Consegue atingir os principais pontos do nosso território, pois um acordo entre a sua editora e a Dinap (do grupo Abril) facilita a sua circulação.
Diferentemente das revistas convencionais do mercado editorial brasileiro, a piauí pratica jornalismo literário. João Moreira Salles nunca ressaltou publicamente a escolha deste gênero, pois acredita que se trata de "um nome pomposo, que quer se aproximar da eternidade da literatura". Para ele, "o que a piauí faz é contar bem uma história". Além de pautas pouco convencionais, o tratamento dado às reportagens geralmente assemelha-se ao de uma narrativa ficcional.
A primeira edição da piauí foi lançada em outubro de 2006. No site da revista é possível ler todas as reportagens das edições antigas.
Em outubro adorei as matérias sobre o "Louco de palestra" e "O futuro do Lulismo" do André Singer.
Nesse mês, aparecem como destaque: "A cura pela palavra" (o que fazem, pensam e pregam os pastores psicanalistas), "questões ambientais" (Luiz Maklouf Carvalho), "Crepúsculo estruturalista nos trópicos" (Lévi-Strauss e a utopia que combina o bem-estar da civilização ocidental com a harmonia ambiental das sociedades “primitivas”), entre outras.
Também adoro ler a seção "Esquina" (uma das poucas da revista), pois temas bem diversificados são abordados na forma de crônicas.
vale a pena conferir.
O seu preço é R$ 12,00 e também pode ser adquirida no sistema de assinatura.
Ah, quase ia me esquecendo de um detalhe importantíssimo: no discurso "imparcial" da revista, percebe-se o seu preconceito contra partidos de esquerda e muitos mimos com aqueles de direita (incluindo-se aí o PSDB).
Então, aos meus amigos apartidários, usem-na como contrabalanço às suas (nossas) leituras da mídia subversiva, rsrsrs...

Obs.: a imagem que ilustra esse post é a capa da primeira edição da revista.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Jackson do Pandeiro - Cabo Tenório



Os amigos de Franca me pediram para dar um exemplo do que era esse intérprete único da música nordestina.
No Youtube tem muuuuuuuito mais...

domingo, 14 de novembro de 2010

O MutuM e Miguilim

Eu tenho uma péssima memória para livros, músicas, filmes e peças de teatro.
É impressionante!
Fico admirado e até com inveja de pessoas que conseguem me narrar com detalhes mínimos, filmes que viram há tempos atrás.
Comigo é estranho. Poucas semanas depois de assistir a algo (tanto faz se no cinema ou teatro), parece que já está localizado em um passado distante e inatingível.
Por outro lado, essa situação também traz algumas vantagens, pois posso assitir algo depois de um certo tempo, que vai me parecer que estou vendo pela primeira vez (óbvio que, quando se desenrolam as cenas, vou lembrando aos pouquinhos...).
Em contrapartida, aquelas obras que me marcaram, jamais são esquecidas.
São poucas, mas como já disse, jamais as esqueço.
Guardo, inclusive, detalhes e fragmentos que voltam na minha memória, assim, do nada!
Com Guimarães Rosa tenho uma ligação quase visceral.
Todos sabem que eu sou caipira de Franca e sempre me apeteceu essa vida de viajante, principalmente pelas entranhas do nosso país.
Então seria impossível não me identificar com Guimarães.
Já li e reli quase tudo do autor, desde a minha tenra idade.
E trago, quase tudo, vivo na minha memória.
Mas, de tudo o que ele escreveu, nada mexeu mais comigo do que a história de Miguilim.
Por sinal era a preferida também do seu autor, que a considerava quase auto-biográfica: “Em Miguilim, acho tudo o que já escrevi até agora e talvez mesmo tudo o que venha a escrever em minha vida. Nessa história, está o germe, é a semente de tudo”, declarou Guimarães Rosa.
Não há como não se apaixonar.
Não há como não reler...
Já conversei sobre ela com muitas pessoas próximas, que sempre destacaram símbolos e reflexões muito particulares.
Como exemplo, cito uma conversa com um professor do colégio onde trabalho, o Bechara, sobre o local onde se passa a história: o Mutum.
Ele me disse que esse palíndromo tinha uma representação bem interessante, pois os dois emes (M) no início e no fim da palavra, representavam as montanhas que cercavam o local, os dois us (U) equivaleriam aos vales e o T representava o próprio menino protagonista.
Por isso, fiz questão de colocar o M maiúsculo no final da palavra que dá título a esse post...
Verdadeira ou não essa análise, intencional ou não por parte do escritor, não interessa.
O que interessa é que a obra, assim como tudo o que Guimarães escreveu, pode resultar nessas apaixonantes conclusões.
Também há um belíssimo filme (que, infelizmente, pouquíssimas pessoas assistiram) que foi baseado na história de Miguilim.
Chama-se "MUTUM" e tem na direção a cineasta Sandra Kogut.
Ganhou dezenas de prêmios pelo mundo afora e é lindo.
Inteiramente filmado nas Gerais e com atores amadores, tem uma fotografia incrível e uma sensibilidade ímpar.
Veja o que a diretora disse sobre a escolha do elenco: "A maior parte das pessoas que atua no filme não são atores profissionais. A maioria das crianças e dos vaqueiros nunca foi ao cinema. MUTUM é o resultado de um longo trabalho de preparação, no qual o elenco viveu junto na fazenda onde a história acontece. Aos poucos formaram uma família, antes mesmo do início da filmagem. Dividiram uma experiência de vida, diretamente ligada à história contada no filme. Ninguém leu o roteiro. Tudo foi transmitido oralmente e o trabalho de atuação se construiu a partir da proximidade entre a vida deles e a de seus personagens."
O resultado é fantástico. Fabuloso!!!!!!
Pena que já saiu há algum tempo das telonas, mas ainda pode ser encontrado em DVD (só nas locadoras e lojas especializadíssimas e por encomenda).
Recomendo para esse final de ano, a leitura da história de Miguilim, que faz parte da obra maior chamada "Campo Geral" (a Editora Nova Fronteira lançou há três anos atrás edições comemorativas e bem caprichadas da obra de Guimarães, inclusive uma separação do livro maior, sobre o título "Manuelzão e Miguilim").
E, após a sua leitura, o filme "MUTUM" de Sandra Kogut.
Até lá, se deleitem com um trechinho da obra:
(...)"Todos os dias que depois vieram, era tempo de doer. Miguilim tinha sido arrancado de uma porção de coisas e estava no mesmo lugar. Quando chegava o poder de chorar, era até bom - enquanto estava chorando, parecia que a alma toda se sacudia, misturando ao vivo todas as lembranças, as mais novas e as muito antigas. Mas, no mais das horas, ele estava cansado. Cansado e como que assustado. Sufocado. Ele não era ele mesmo. Diante dele, as pessoas, as coisas, perdiam o peso de ser. Os lugares, o Mutum - se esvaziavam numa ligeireza, vagarosos. e miguilim mesmo se achava diferente de todos. Ao vago, dava a mesma ideia de uma vez, em que, muito pequeno, tinha dormido de dia, fora de seu costume - quando acordou, sentiu o existir do mundo em hora estranha, e perguntou assustado:
- 'Uai, Mãe, hoje já é amanhã?!'" (...)

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Cauby às segundas no Bar Brahma



Pode parecer um "programa de índio", sair numa segundona brava, à noite, para assistir um show composto por clássicos da música brasileira e internacional, na voz de um cantor que já não está mais na mídia há um bom tempo.
Poderia ser ridículo, mas esse cantor é nada mais, nada menos que o glamouroso Cauby Peixoto, dono de uma voz maravilhosa (tudo bem que o avançar da idade e da doença, já lhe tiraram parte da firmeza do seu cantar), de um estilo único (quem já não o imitou cantando "Conceiçããããooooo...") e de um figurino sensacional.
O lendário cantor costuma escolher um repertório de músicas clássicas, que inclui "Sampa", de Caetano Veloso, "New York, New York", de Frank Sinatra, e "Como uma Onda", de Lulu Santos e Nelson Motta, entre outras pérolas da MPB.
Vale a pena conferir!
Em outros dias da semana também é possível assistir "Os Demônios da Garoa" e o eletrizante Jair Rodrigues no mesmo local. Informem-se...

Serviço:
Bar Brahma (salão principal)
Av. São João, 677 - República - Centro. Telefone: 3333-3030.
Couvert artístico: R$ 68,00.
Toda as segundas: 22h30.
Duração: 80 minutos
Classificação: Livre (recomendo apenas para adultos).
Tem área para fumantes. Não aceita cheques. Aceita reservas. Tem ar condicionado. Não vende ingresso pelo telefone. Tem acesso para deficiente. 220 lugares.
Valet (R$ 14).

Calígula no teatro Vivo



Depois de uma temporada de sucesso em São Paulo, capital e interior, turnê por 10 capitais brasileiras (Brasília, Campo Grande, Porto Alegre, Vitória, Salvador,Natal, Recife, Rio de Janeiro e Fortaleza) e Prêmio CONTIGO 2009 de melhor espetáculo e melhor ator (THIAGO LACERDA), a peça Calígula volta a São Paulo. Encerra a turnê brasileira e comemora quase 40 mil pessoas de público em 4 meses de temporada. No elenco, Thiago Lacerda, Claudio Fontana, Magali Biff , Cesar Augusto, Pedro Henrique Moutinho, Rogerio Romera e Helio Souto Jr.
Comemorativa em função do sucesso de público e crítica na turnê nacional e preparando-se para encerrar a temporada em Lisboa, em 2011. Com tradução de Dib Carneiro Neto, a peça traz no elenco Thiago Lacerda (Calígula), Magali Biff (Cesônia), Cláudio Fontana (Cherea), César Augusto (senador romano e Ruffius, o poeta), Rogério Romera (Hélicon), Pedro Henrique Moutinho (Scipião, poeta) e Helio Souto Jr. (intendente do tesouro romano e Metellus, poeta). Cláudio Fontana, Rogério Romera, César Augusto e Helio Souto Jr. estreiam em São Paulo, não tendo participado da temporada anterior.
Escrita por Albert Camus (Prêmio Nobel de Literatura por sua obra em 1957) em 1942, a peça é a história de Gaius Caesar Germanicus, conhecido por Calígula, terceiro imperador romano, reinante entre 37 e 41, que ficou conhecido pela sua natureza extravagante e por vezes cruel. Calígula é o filho mais novo de Germânico e Agripina, bisneto de César Augusto. Ele irrompe em cena após a morte de Drusilla, sua irmã e amante, para expressar seu desejo de impossível - a lua, ou a felicidade, ou a vida eterna -, seu novo programa de vida - é preciso ser lógico até o fim, a todo custo - e sua descoberta do que acarretará como sendo a verdade absoluta - os homens morrem e não são felizes.
Calígula constata o absurdo e decide levá-lo às últimas consequências, perdendo os limites do poder, da liberdade, da razão, negando todos os laços que o prendem ao gênero humano. Definida pelo próprio Camus como uma tragédia da inteligência, Calígula traz uma compreensão de que ninguém pode salvar-se sozinho, nem pode ser livre à custa dos outros.

Serviço:
De 5 de novembro a 19 de dezembro de 2010. TEATRO VIVO (288 lugares).
Av. Dr. Chucri Zaidan, 860 - Morumbi. Telefone: 7420-1520.
Sextas às 21h30, sábados às 21h e domingos às 19h.
Ingressos: sextas a R$ 50,00, sábados a R$ 70,00 e domingos a R$ 60,00. Desconto de 50% para clientes VIVO (com apresentação da fatura paga e identidade. Aceita todos os cartões de crédito.
Duração – 110 minutos. Classificação etária: 14 anos.
Vendas pelo site www.compreingressos.com e na bilheteria do teatro.
Bilheteria: terças e quartas-feiras das 14 às 20 horas. Quinta a domingo das 14 horas até o início do espetáculo. Estacionamento: Vallet - R$ 15,00. Ar condicionado.
Acesso para deficientes. Audiodescrição para deficientes visuais e interpretação em libras para deficientes auditivos. O Teatro Vivo oferece serviço de audiodescrição para pessoas com deficiência visual, às sextas-feiras, com reservas.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Um ano de postagens e uma homenagem a Jackson do Pandeiro



No dia 07 passado, esse blog fez um ano de existência.
Quando o criei, tive a pretensão de torná-lo um veículo de divulgação de atividades ligadas ao lazer, cultura e entretenimento.
Confesso que jamais esperava que muitas pessoas entrassem para receber algumas dessas dicas.
Tampouco esperava ter meia dúzia de seguidores, pois ele foi feito para satisfazer um pouquinho do meu ego e mostrar "aos meus", um pouquinho do que sou e do que gosto.
Por isso, me surpreendeu saber que ele está sendo útil para muitas pessoas (algumas que nem conheço, por sinal).
Há uma efervescência inimaginável na metrópole paulistana.
Diariamente centenas de eventos acontecem simultaneamente e, muitos deles, sequer são divulgados de maneira adequada pela grande mídia, por isso vale a pena aumentarmos e valorizarmos os canais de divulgação independentes e alternativos, já que é através deles que conseguiremos multiplicar ainda mais esse circuito alternativo.
E também reforçar o óbvio, o que todo mundo já conhece.
E, para "dar-me as felicitações" (sic), escolhi um dos maiores compositores e intérpretes da música nacional para homenagear: o paraibano Jackson do Pandeiro.
Para quem não o conhece, saiba que ele foi considerado um dos cantores mais versáteis da história da MPB.
Dizem alguns estudiosos que, quando ele quebrava o ritmo da música, lembrava a levada de um rap moderno.
Letras incríveis, ritmos alucinantes e uma voz inimitável fizeram desse paraibano um ícone da nossa cultura.
Jackson alcançou grande sucesso com "O Canto da Ema", "Chiclete com Banana", "Cantiga da Perua", Forró de Limoeiro", "Cabo Tenório", "A Mulher do Aníbal", "Um a Um", "Sebastiana" (a minha preferida) e "Xote de Copacabana". Os críticos ficavam abismados com a facilidade de Jackson em cantar os mais diversos gêneros musicais: baião, coco, samba-coco, rojão, além de marchinhas de carnaval.
O fato de ter tocado tanto tempo nos cabarés aprimorou sua capacidade jazzística. Também é famosa a sua maneira de dividir a música, e diz-se que o próprio João Gilberto aprendeu a dividir com ele. Muitos o consideram o maior ritmista da história da Música Popular Brasileira e, ao lado de Luiz Gonzaga, foi um dos principais responsáveis pela nacionalização de canções nascidas entre o povo nordestino. Sua discografia compreende mais de 30 álbuns lançados no formato LP.
Foi parar no ostracismo no início da década de 70, mas acabou redimido e divulgado pelos jovens artistas da época, como Gil, Betânia, Gal e Alceu.
Desde sua primeira gravação, "Forró em Limoeiro", em 1953, até o último álbum, "Isso é que é Forró!", de 1981, foram 29 anos de carreira artística, tendo passado por inúmeras gravadoras.
Vale a pena, procurar nos arquivos da TV Cultura, o que ainda resta das suas entrevistas ou no Youtube, trechos dos seus principais sucessos.
Perigoso é se apaixonar!!!!!!!
Um trechinho da genial "Cantiga da Perua" para finalizar:
"Andam dizendo
Que o progresso vai chegar
Que a coisa vai melhorar
Quando o homem for pra lua
Mas a verdade crua
Que a situação da vida
Ta ficando parecida
A cantiga da perua

É de pió a pió
É de pió a pió
A cantiga da perua é uma só"

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Teatro na Augusta: Cândida



Fui assistir no sábado anterior, a peça "Cândida", com a excelente atriz Bia Seidl, no nada confortável Teatro Augusta.
É uma peça divertida.
Foi escrita em 1895 pelo dramaturgo irlandês Bernard Shaw, a comédia –que pertence ao grupo denominado pelo próprio autor de Peças Agradáveis - retrata os perigos de um iminente triângulo amoroso. Cândida é a dedicada esposa do reverendo Morell, um pastor anglicano de ideologia socialista. Com a chegada do jovem Eugênio, um aristocrata, a estabilidade desse casamento será questionada diante da constante possibilidade de traição, levando a peça para um desfecho inusitado.
Recomendo sem medo de desagradar, pois além de um situação bem ambientada e simples(a peça toda se desenvolve no intervalo de um dia), também conta com um grupo de atores que se equivalem na arte de interpretar.
Ela fica em cartaz até o dia 19 de dezembro.

Serviço:
Teatro Augusta
Rua Augusta,943 (Cerqueira César)
São Paulo- SP
Fone: (11) 3151-4141
Elenco: Bia Seidl, Sergio Mastropasqua, Thiago Carreira, Fernanda Maia, Thiago Ledier e João Bourbonnais
Sala Nobre: 302 Lugares
Duração: 110 minutos.
Recomendação: 12 anos
Ingressos e Horários:
Sextas-Feiras (21h30): R$ 30,00
Sábados (21h): R$ 60,00
Domingos (18h): R$ 50,00
Meia – entrada: Mediante a apresentação do comprovante
A cia. oferece gratuidades para professores e estudantes do Ensino Médio da rede pública, mas há a necessidade de um contato prévio, através do site www.nucleoexperimental.org.br.

Metrô vira palco em São Paulo



Desta segunda (08/11) até quinta-feira (11), quem utilizar o metrô na capital paulista poderá se deparar com inusitadas apresentações musicais. Isso porque a cidade de São Paulo foi escolhida para receber a primeira edição do Red Bull Sounderground - Festival de Música no Metrô, que reúne 20 atrações musicais, vindas de diferentes partes do mundo. Na sexta (12/11), todos os músicos se encontrarão às 17h, na estação Paraíso, onde acontecerá uma apresentação coletiva de encerramento.
Reunindo buskers (músicos de rua) selecionados em São Paulo, Barcelona, Londres, Cidade do México, Moscou, Berlim, Montreal, Paris e Nova York, o festival de música no metrô se destaca por priorizar a música instrumental e, principalmente, por envolver diferentes estilos musicais, como MPB, clássico, blues, jazz, choro, rock, reggae, tango e até ragtime (ritmo dos Estados Unidos dos anos 20).
Sob idealização do produtor Marcelo Beraldo, o festival ainda apresenta suas atrações de maneira simultânea, sempre em dois horários de grande movimento (das 11h às 13h e das 17h às 19h). No total, serão dez estações envolvidas no projeto: Luz e Ana Rosa (linha 1-Azul); Vila Madalena (linha 2-Verde); Corinthians-Itaquera, Tatuapé, Brás, Sé, Anhangabaú, República e Palmeiras-Barra Funda (linha 3-Vermelha).
Abaixo, confira a lista dos artistas presentes:
São Paulo: Ana Goes (sax tenor/jazz); Duo Benetiz (violão e flauta/ ritmos brasileiros); Les Maga (guitarra/MPB); Mustard and Custard (violões/blues e folk); Pedro Loop (baixo elétrico/experimental); Rafael Masgrau (guitarra elétrica/rock); Vadim Klokov (fagote/música clássica); Vibrafone Chorão (violão, pandeiro e xilofone/chorinho); Vivian del Pintor (dois violões e violino/pop e MPB).
Barcelona: Anatol Eremciuc (acordeão/música folclórica).
Berlim: Mellow and Pyro (violão e baixo/reggae e ska).
Cidade do México: Gaitas Mexicanas.
Londres: Lewis Floyd Henry (multi-instrumental/blues rock, folk e outros); The Nomadic Mystics (multi-instrumental/afroreggae).
Moscou: Bloody Red Sombreros (violão/garage rock, R&B).
Montreal: O'Connor and Gryn.
Nova York: The Xylopholks (xilofone e double bass/ragtime - música norte-americana dos anos 20); Tribal Baroque (dois violinos/tribal baroque);Akil Dasan (piano, guitarra/vários);
Paris: Kutner e Koc (violões/ tango).
Confira os horários e as estações no site da Red Bull (www.redbull.com.br)

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Norah Jones no Parque da Independência



A cantora de jazz norte-americana volta ao Brasil para apresentar sua nova turnê, baseada no repertório do seu mais recente disco, "The Fall". Norah Jones já esteve no país em 2004, com a turnê de Come Away With Me, álbum de estréia. Ganhadora de cinco prêmios Grammy, Norah não se destaca apenas na música. É famosa por suas aparições no cinema, como no filme Um Beijo Roubado, onde protagonizou ao lado de Jude Law.

Serviço:
Local: Parque da Independência (Museu do Ipiranga)
Endereço: Av. Nazareth, s/n - Ipiranga - São Paulo - SP
Sábado, 14 de novembro.
Preço: gratuito.

Ney Matogrosso no Sesc Pinheiros



Essa dica foi dada por uma professora do colégio onde trabalho.
O talentosíssimo Ney Matogrosso fará uma série de shows no Sesc Pinheiros, no Teatro Paulo Autran, entre os dias 05 e 14 de novembro.
Depois do álbum e do show Inclassificáveis, ele retorna com um novo trabalho, "Beijo Bandido". Com direção musical e arranjos de Leandro Braga e participação dos músicos Leandro Braga (piano), Lui Coimbra (cello e violão), Alexandre Casado (violino e bandolim) e Felipe Roseno (percussão).
Imperdível...

Serviço:
Sesc Pinheiros (Teatro Paulo Autran).
Rua Paes Leme, 195 - Pinheiros - São Paulo
Metrô Estação Faria Lima (aberta de seg a sex, das 9h às 15h)
Tel.: 3095-9400 / 0800 11 8220
www.sescsp.org.br
Dia(s) 05/11, 06/11, 07/11, 13/11, 14/11
Sexta e sábados, às 21h; domingos às 18h.
Não recomendado para menores de 10 anos
R$ 40,00 [inteira]
R$ 20,00 [usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante]
R$ 10,00 [trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes]
Não é permitida a entrada após o início do espetáculo. Ingressos à venda pelo sistema INGRESSOSESC, a partir de 03/11 às 14h. Somente 02 ingressos por pessoa.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

"Metrópolis" ao ar livre



Inicia-se, hoje, dia 22, a 34ª Mostra de Cinema de São Paulo.
Além dos filmes inéditos, a Mostra também terá exibição de clássicos com cópias restauradas. Uma delas é o filme "Metropolis" (1927), do austríaco Fritz Lang.
Exibido pela primeira vez no Festival de Berlim, em janeiro, o filme traz 25 minutos de cenas inéditas (que foram encontradas na Argentina) e será apresentado a céu aberto no próximo dia 24, no gramado do auditório do Parque do Ibirapuera, às 20h. A exibição será acompanhada da Orquestra Jazz Sinfônica.
É uma ficção científica e foi a produção mais cara produzida na Europa (na sua época, é claro).

Enredo:
O enredo é ambientado no século XXI, numa grande cidade governada autocraticamente por um poderoso empresário. Os seus colaboradores constituem a classe privilegiada, vivendo num jardim idílico, como Freder, único herdeiro do dirigente de Metropolis.
Os trabalhadores, ao contrário, são escravizados pelas máquinas, e condenados a viver e trabalhar em galerias no subsolo. Num meio de miséria entre os operários, uma jovem, Maria, destaca-se, exortando os trabalhadores a se organizarem para reivindicar seus direitos através de um escolhido que virá para os representar.
Através de cenas de forte expressão visual, com o recurso a efeitos especiais, algumas se tornaram clássicas, como a panorâmica da cidade com os seus veículos voadores e passagens suspensas. Alusões bíblicas, mistério, ação e romance, completam o leque que envolve o público e o mantém em suspense até ao final.
À época, Metropolis impressionou tanto Hitler que, quando ele chegou ao poder, solicitou ao Ministro Goebbels que abordasse Lang, convidando-o a fazer filmes para o partido nazista. Enquanto Thea Von Harbou, sua esposa à época, mergulhou no projeto, Lang evadiu-se para Paris, onde chegou a produzir filmes de conteúdo antinazista, viajando posteriormente para os Estados Unidos, país onde faleceu.
A obra demonstra uma preocupação crítica com a mecanização da vida industrial nos grandes centros urbanos, questionando a importância do sentimento humano, perdido no processo. Como pano de fundo, a valorização da cultura, expressa no filme através da tecnologia e, principalmente, da arquitectura. O ponto alto do filme e grande mote é, sem dúvida, o final - onde a metáfora "O mediador entre a cabeça e as mãos deve ser o coração!" se concretiza no simbólico aperto de mão mediado por Freder entre Grot (líder dos trabalhadores) e Jon Fredersen - o empresário.

Serviço:
Local: gramado em frente ao Auditório do Parque do Ibirapuera
Dia: 24 de Outubro de 2010 (domingo)
Horários: 18h30 (o filme será projetado às 20h)
Duração: 200 minutos (aproximadamente)
Ingressos: GRATUITO. Plateia Externa do Auditório
Gênero: Cinema + música instrumental
Classificação Indicativa: livre para todos os públicos

Programação:
20h - Exibição do filme "Metropolis", de Fritz Lang. Acompanhamento musical: Jazz Sinfônica, regência de João Mauricio Galindo.
Abertura - 18h30: Orquestra Furiosa do Auditório - OFA.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

34ª Mostra Internacional de Cinema de SP



Entre os dias 22 de outubro e 04 de novembro de 2010, acontece na cidade de São Paulo a 34ª Mostra Internacional de Cinema.
Nessas duas semanas serão exibidos mais de 400 filmes de vários países, inclusive 19 deles que receberam indicação para a disputa do Oscar para "melhor filme estrangeiro" (dos 65 filmes indicados é que saem os cinco finalistas).
Os títulos estarão sendo exibidos em mais de 20 espaços, entre cinemas, museus e centros culturais espalhados pela capital paulista. A seleção faz um apanhado do que o cinema contemporâneo mundial está produzindo e das principais tendências, temáticas, narrativas e estéticas produzidas em todo o mundo.
“O Estranho Caso de Angélica”, filme de Manoel de Oliveira coproduzido pela Mostra, abre o evento hoje, dia 21, no Auditório do Ibirapuera. Exposições de fotos de Wim Wenders e de storyboards originais de Akira Kurosawa também são destaques da programação.
Para conferir a programação, horários e salas de exibição acesse o site www.mostra.org e faça o seu roteiro.
Desde sábado, dia 16 de outubro, a Central da Mostra no Conjunto Nacional já está aberta para a venda de pacotes e permanentes da 34ª Mostra Internacional de Cinema.
A Central fica aberta diariamente das 10h às 21h até o final da Mostra. A emissão de credenciais obedece a um sistema único de atendimento, por ordem de chegada.
Pelo terceiro ano consecutivo, os valores de permanentes, pacotes promocionais e ingressos individuais continuam os mesmos.

Serviço:
34.ª Mostra Internacional de Cinema

CENTRAL DA MOSTRA – CONJUNTO NACIONAL
Endereço: Conjunto Nacional
Av. Paulista, 2073, (ao lado do Cine Livraria Cultura)
Diariamente das 10h às 21h
Tels. 3251-3374 / 3251-3369
Ingressos/Pacotes
Permanente integral: R$ 390
Permanente especial: R$ 90
Pacote de 40 ingressos: R$ 285
Pacote de 20 ingressos: R$ 165
Internet: http://www.ingresso.com/
Site da Mostra: http://www.mostra.org/

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Devolvam os urubus



Sei que eu vou suscitar os mais calorosos protestos dos meus amigos ambientalistas (continuo comO tal, tá gente), mas após ler a defesa escrita pelo próprio autor da obra "Bandeira Branca", o artista Nuno Ramos, publicada pela reacionária Folha de São Paulo, no caderno Ilustríssima, de ontem (domingo, 17 de outubro de 2010), TENHO QUE CONFESSAR QUE MUDEI A MINHA OPINIÃO.
Não vou reproduzi-la, nem comentá-la, mas concordo que houve perseguição e censura, já que os urubus saíram do seu cativeiro, em Sergipe, com AUTORIZAÇÃO DO IBAMA, diga-se de passagem e foram acondicionados em um local mais espaçoso que o seu original (maior até que a jaula do condor, no zoológico de São Paulo).
Foram inseridos em um contexto artístico, compondo uma obra viva que, confesso, nos fez pensar e refletir sobre diversos temas (um dos papéis da própria arte: a reflexão).
E, em certos momentos, que olhavámos para a obra, não sabíamos quem observava quem (fantástico, esse dualismo).
Tive, por vários instantes, a sensação que EU ERA O OBSERVADO.
De fato, Nuno Ramos, a obra incomodava...
Pena, que nem todos puderam senti-la.

Teatro: "Os 39 degraus"



Fui assistir no sábado passado, no Teatro Frei Caneca, a peça "Os 39 degraus", baseada na obra de Alfred Hitchcock.
Em primeiro lugar, é divertidíssima. Só por isso, já vale o ingresso (bem caro, por sinal).
Os atores Dan Stulbach, Danton Mello, Fabiana Gugli e Henrique Stroeter (do grupo Parlapatões) dão uma aula de interpretação e presença de palco. Usam muitos dos recursos cênicos disponíveis e conhecidos, passando por várias técnicas e gêneros teatrais, como o melodrama, a dupla de clowns, o teatro de sombra, a mímica e muita expressão corporal, movimentando também as peças do cenário (bem non sense, por sinal). Vale destacar também que a influência do grupo britânico “Monty Python” é visível, mesmo na adaptação tupiniquim da peça.
Em segundo lugar, é um texto ágil, com muitas gags e uma pitadinha do teatro do absurdo, de Ionesco (é óbvio, que muita gente vai discordar, mas EU enxerguei).
E, para finalizar, é representada em uma casa bem confortável, no caso o teatro do Shopping Frei Caneca (localizada no 6º andar do mesmo).
Vale a pena conferir!
Recomendadíssimo...

Sinopse:
Em 39 Degraus, Richard, um belo sedutor incorrigível, conhece a linda agente secreta, com sotaque alemão, Annabela Schimit (Fabiana Gugli). Encantado, ele a leva para o seu apartamento, onde ela é misteriosamente assassinada.
Esse acontecimento detona toda a trama de suspense policial. Richard, único suspeito, foge com a intenção de investigar as informações passadas por Annabela, salvar seu país e provar a sua inocência.
A história acontece em Londres e parte da Escócia, no período Pré Segunda Guerra Mundial. Durante a sua caminhada, o conquistador conhece uma moça chamada Pamela (Fabiana Gugli), que hora o denuncia, hora envolve-se amorosamente com ele e o ajuda durante as fugas.
A terceira personagem vivida por Fabiana é Margaret, uma caipira da roça escocesa. Por ter um affair com Richard, ela o ajuda a fugir da polícia durante sua estada na escócia.
Além das diversificadas atuações de Dan Stulbach e Fabiana Gugli, Danton Mello e Henrique Stroeter dão vida a 30 personagens, entre espiões, capangas, mulheres, fazendeiros etc. “No vai e vem das interpretações desses dois atores, somam-se cerca de 130 trocas de personagens”, esclarece Reinecke.

Serviço:
TEATRO SHOPPING FREI CANECA (600 lugares)
Rua Frei Caneca, 569 - 6º andar
Info: (11) 3472-2226/ 2229/ 2230
Bilheteria: terça a domingo, das 13h às 19h.Em dias de espetáculo, até o início da apresentação.
Aceita os cartões de crédito Visa, Mastercard, Dinners e Amex. Débito: Redeshop e Visa Electron
Vendas pela internet: www.ingressorapido.com.br
Vendas pelo telefone: 4003.1212
Sexta, às 21h30 / Sábado, às 21h – R$ 80 / Domingo, às 19h – R$ 70
Duração: 100 minutos
Gênero: Comédia de Suspense
Classificação Etária: 12 anos
Temporada até 28 de Novembro

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

29ª Bienal de São Paulo



Segue na íntegra o texto de capa de um "informe publicitário" que saiu nos jornais de hoje:
"ARTE COM INCLUSÃO"
Além de figurar como uma das maiores exposições de arte contemporânea do mundo, a Bienal de São Paulo consolida-se como um valioso instrumento de acesso à arte em um país onde menos de 10% da população já visitou um museu alguma vez.
O evento, no Pavilhão projetado por Oscar Niemeyer no Parque do Ibirapuera, apresenta ao público cerca de 850 obras de 159 artistas, que podem ser contempladas até 12 de dezembro, gratuitamente.
Sob a crença de que a arte tem papel educativo, nesta edição foram celebradas parcerias com as Secretarias da Educação do Estado, da capital e de cidades vizinhas de São Paulo e com instituições de ensino privadas e organizações não governamentais para capacitar mais de 35 mil educadores. A ideia é que eles trabalhem em sala o tema da Bienal - inspirado no verso "Há sempre um copo de mar para o homem navegar", do poeta Jorge de Lima - e, posteriormente, levem seus alunos à exposição.
A expectativa dos organizadores é receber mais de 400 mil visitas guiadas, o que tornará o programa educativo um dos mais abrangentes do campo das artes.

Serviço:
29ª Bienal de São Paulo
De 25/09 a 12/12
Entrada gratuita
Parque do Ibirapuera, portão 03

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Mater no Rio Quente Resorts II

Muito bem, o horário do nosso embarque para o Rio Quente já está confirmado.
Vocês devem chegar no aeroporto de Guarulhos (Cumbica) às 10h e apresentar-se em frente ao check-in da TAM, no Terminal 01 asa B. No local, vai estar o pessoal do Rio Quente Resorts (eu e o professor Jerônimo também estaremos lá) para orientá-los.
É imprescindível apresentar o RG ORIGINAL no check-in e no portão de embarque da aeronave.
O voo é o TAM 9364 e saírá às 12h e chegada prevista em Caldas Novas às 13h15.
Eu recomendo identificar a bagagem com etiquetas, dentro e fora da mala (o Rio Quente também vai fornecer uma personalizada), colocar cadeado ou lacre e prestar atenção no que vai estar levando na bagagem de mão (mochila), que não pode ultrapassar 5kg de peso. Objetos perfurantes, cortantes(como tesouras para unhas), aerosóis e frascos com líquidos maiores que 100ml, não podem ser levados na bagagem de mão, devendo ser colocados na bagagem que vai ser despachada, que deve pesar até 20kg/passageiro.
O nosso retorno no dia 19/09 está previsto para às 14h30 no aeroporto de Guarulhos (voo TAM 9567).
E já podem ir arrumando as malas!!!!

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Mater no Rio Quente Resorts I

O dia da nossa viagem para o Rio Quente Resorts já está chegando.
Como é um voo fretado (até o aeroporto de Caldas Novas), só saberemos a hora de embarque na terça de manhã (14 de setembro), pois o voucher só é liberado com 48 horas de antecedência.
Assim que tivermos a confirmação, avisaremos a todos, inclusive dos procedimentos básicos para o nosso embarque.
Até breve!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Restaurant Week

A São Paulo Restaurant Week chega à sua sétima e maior edição amanhã (dia 30 de agosto) e vai até dia 12 de setembro (domingo), com adesão de mais de 200 restaurantes, bares e cafés.
Entre as novidades da edição deste segundo semestre, estão sugestões vegetarianas, desenvolvidas por alguns participantes.
Essa promoção conta com cardápios refinados (alguns exclusivos) por um valor bem inferior ao cardápio diário dos locais.
Todos contam com preço único de duas combinções de entrada, prato principal e sobremesa, escolhidos especialmente para a ocasião (em artigo de março deste ano, eu já havia explicado como funciona o "Restaurant Week"). No almoço o valor é de R$ 29,00 e no jantar sai por R$ 39,00 (sem as bebidas, é claro).
Como exemplo, vale uma olhadinha na sugestão do caríssimo "All Seasons" (localizado no hotel Golden Tulip Paulista Plaza) para o evento: sopa fria de melão com tartare de tomate e crocante de presunto cru ou galinha caipira com folhas verdes ao molho de aspargos podem fazer entrada para pratos como a lasanha de pescada e camarão ao champanhe com manga. Rabanada com compota de cupuaçu encerra a refeição.
É bom destacar que as bebidas e o couvert não estão inclusos (pedi-los pode encarecer demais a refeição). Ligue para os restaurantes antes de visitá-los. Vale a pena reservar uma mesa ou verificar qual o tempo de espera e a disponibilidade do menu especial.
Também há a cobrança do serviço (os famosos 10% do final da conta) e mais R$ 1,00, destinado à Fundação Ação Criança (opcional).
Para saber a lista dos restaurantes participantes, acesse o site www.restaurantweek.com.br.
Imperdível!

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Exposições temporárias



A vantagem de vivermos em uma região metropolitana é a grande quantidade de opções culturais que ela disponibiliza.
Só na cidade de São Paulo, estão em cartaz dezenas de exposições permanentes e temporárias de tudo o que se possa imaginar.
Só como exemplo, eu cito e recomendo duas delas, bem diferentes entre si, por sinal.
A primeira é do cartunista brasileiro, o paulistano Fernando Gonsales, aquele que diariamente publica as suas tirinhas no jornal Folha de São Paulo.
Formado em veterinária e biologia, Gonsales avisa que "gosta de tratar o ser humano como um animal". Por isso, as suas tiras dão espaço a bichos urbanos que se comportam como homens.
O seu mais conhecido personagem é o ratinho de esgoto Níquel Náusea.
Esse universo do ilustrador está na mostra "Fauna Urbana", no Sesc Vila Mariana, que expõe cerca de 50 tiras e dois painéis.
Já outra exposição bem interessante ou no mínimo inusitada, acontece na Galeria Olido, no centro de São Paulo, intitulada "Inundações em São Paulo", reunindo cerca de 55 fotografias do acervo do Museu da Cidade de São Paulo, tiradas entre 1862 e 1975, que registram enchentes na capital, em períodos muito anteriores à canalização dos rios Tietê, Tamanduateí e Pinheiros.
São registros de autores desconhecidos e de profissionais como Benedito Junqueira Duarte e Militão Augusto de Azevedo, primeiro fotógrafo de paisagem urbana da cidade. É dele a imagem de uma enchente na região do Rio Tamanduateí em 1862, a mais antiga do acervo.
"É o primeiro registro fotográfico conhecido de uma inundação", explica o curador Henrique Siqueira. A imagem, junto com outras duas do século XIX, integra o primeiro dos quatro módulos da exposição.
Vale a pena dar uma passadinha nelas...

Serviço:

Fauna Urbana
Sesc Vila Mariana
Endereço: R. Pelotas, 141, Vila Mariana, zona sul, São Paulo, SP.
Fone: 5080-3000
Ter. a sex. das 10h às 21h30. Sáb. e dom. das 10h às 18h30.
Até 17/10. Livre. Grátis.

Inundações em São Paulo
Galeria Olido
Espaço expositivo - 1º andar - Avenida São João, 473 - República
Fone: 3397-0171
De 19/8 a 3/10 - terça a domingo, das 13h às 20h. Grátis.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Pharoah Sanders no Sesc Pinheiros



Dias 21 e 22 de agosto (sábado às 21h e domingo às 18h) se apresenta no Sesc Pinheiros (Teatro Paulo Autran), o grande saxofonista americano de jazz, Pharoah Sanders, acompanhado pelo "Chicago Underground Trio": Rob Mazurek (trompete), Matt Lux (baixo) e Chad Taylor (bateria).
Haverá também a participação especial de Maurício Takara e Guilherme Granado do Hurtmold.
Emergindo do grupo do também saxofonista tenor John Coltrane, na metade da década de 60, Sanders é conhecido por suas características técnicas como overblowing, assim como a técnica desenvolvida por Coltrane chamada "sheets of sound". O saxofonista de avant-garde jazz Albert Ayler disse uma vez: "Trane era o Pai, Pharoah era o Filho, e eu era o Espírito Santo".
E o que é melhor, com preços bem acessíveis.

Serviço:
Sesc Pinheiros - Teatro Paulo Autran
Rua Paes Leme, 195 - Pinheiros - São Paulo
Metrô Estação Faria Lima (aberta de seg a sex, das 9h às 15h)
Tel.: 3095-9400 / 0800 11 8220
www.sescsp.org.br
Ingressos à venda pelo sistema ingressosesc
R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (usuário matriculado no Sesc e dependentes, maiores de 60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante) e R$ 7,50 (trabalhador do comércio de bens e serviços matriculado no Sesc e dependentes).
Sábado, dia 21, às 21h
Domingo, dia 22 às 18h

terça-feira, 17 de agosto de 2010

8º Bourbon Street Fest



Inicia-se hoje, dia 17 de agosto, no Bourbon Street (Moema) as noites do 8º Bourbon Street Fest, uma série de shows de jazz e outros ritmos e suas variantes (soul, blues, Zydeco, brass, etc), um dos mais eletrizantes e originais eventos da cidade de São Paulo.
Associado à música também ocorre, no domingo, dia 22, um jazz brunch, esse ano capitaneado pelo chef Viko Tangoda, especialista em comida cajun e creole (com preços bem salgados, por sinal).
No sábado passado, dia 14 de agosto, aconteceu a abertura desse festival, no Parque do Ibirapuera, com 03 shows.
Eu acompanhei a apresentação bem conservadora do excelente trio de piano, baixo e bateria, liderado por Jon Cleary e também o show eletrizante (sem exageros, um super show) de Terrance Simien e a banda The Zydeco Experience, uma excepcional variação da música folclórica do sul dos Estados Unidos, o zydeco.
Nessa semana, temos na capital paulista, um pouquinho da energia contagiante da cidade de Nova Orleans.
Ah, e no domingo à tarde, tem mais três shows gratuitos na Rua dos Chanés, em Moema (em frente ao Bourbon).

Dia 17/08/2010, terça-feira
às 21h - Bob Jackson
às 22h - Jon Cleary
às 23h30 - Shamarr Allen & The Underdawgs
Local: Bourbon Street - Rua dos Chanés, 127, Moema
R$55,00

Dia 18/08/2010, quarta-feira
às 21h - Bob Jackson
às 22h - Tricia Teddy Boutté & The Bootleg Operation
às 23h30 - Vasti Jackson
Local: Bourbon Street
R$55,00

Dia 19/08/2010, quinta-feira
às 21h - Bob Jackson
às 22h - Gary Brown
às 23h30 - Terrence Simien & The Sydezo Experience
Local: Bourbon Street
R$55,00

Dia 20/08/2010, sexta-feira
às 20h30 - Bourbon Street Jazz Trio
às 22h -Bob Jackson
23h30 -Vasti Jackson
01h - Trombone Shorty & Orleans Avenue
Local: Bourbon Street
R$75,00

Dia 21/08/2010, sábado
às 21h30 - Bob Jackson
às 22h30 -Terrance Simien & The Zydeco Experience
24h -Gary Brown
01h30 - Gary Brown
Local: Bourbon Street
R$75,00

Dia 22/08/2010, domingo
às 11h - Bob Jackson
Tricia Teddy Boutté & The Bootleg Operation
Local: Bourbon Street
de R$220,00 a R$250,00

Dia 22/08/2010, domingo
às 16h - Terrance Simien & The Zydeco Experience
às 17h30 - Gary Brown
às 19h - Trombone Shorty & Orleans Avenue
Local:Rua dos Chanés, Moema
Gratuito

Serviço:
Bourbon Street
Rua dos Chanés, 127 - Moema - São Paulo.
Fone: (11) 5095-6100
Site: www.bourbonstreet.com.br

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Bienal do livro em agosto

Entre os dias 12 e 22 de agosto de 2010, acontece no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, a 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo.
Muitas editoras, livrarias e distribuidoras de livros estarão presentes nesse evento, que pode ser considerado o maior da América Latina, no setor.
Além da presença de mais de 900 selos editoriais, acontecerá também uma vasta programação cultural, como a "Exposição Monteiro Lobato".
No dia 13 de agosto, todas as pessoas que aparecerem fantasiadas com o seu personagem favorito, não pagarão o ingresso (é importante levar foto ou ilustração do personagem para apresentar na entrada).
Ah, no primeiro dia (12/08), o evento é restrito a convidados.
O Colégio Mater Amabilis vai levar os seus alunos, no dia 18 de agosto (quarta-feira).
Aproveitem...

Serviço:
21ª Bienal Internacional do Livro
Pavilhão de Exposições do Anhembi.
Av. Olavo Fontoura, 1209 - Santana - próximo ao metrô Tietê.
Fone: 2226-0400 - São Paulo (SP)
De 12 a 22 de agosto de 2010
Horário: das 10h às 22h (no dia 22, das 10h às 20h)
Ingresso: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia entrada).
Crianças menores de 12 anos, idosos acima de 65 anos e professores, não pagam (apresentar comprovante).

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Mostra de repertório do grupo Parlapatões



Bom, eu sou muito suspeito para escrever sobre o grupo Parlapatões.
Para mim, eles representam a trupe que mais criou e inovou nesses últimos vinte anos.
Quem quiser comprovar, pode se programar para assistir um revival de sucessos do grupo, que começa hoje e se estende até o início de setembro.
Os espetáculos acontecerão no espaço da Praça Roosevelt (sede própria, por sinal).
"As nuvens e/ou um deu$ chamado dinheiro" é o primeiro que vai ser reapresentado.
Com texto de Aristófanes e direção de Hugo Possolo, conta com a atuação de Hugo Possolo, Raul Barretto, Henrique Stroeter, entre outros.
Ao completar seus doze anos de atividade, em 2002, os Parlapatões montaram duas peças de Aristófanes, engendradas em um único enredo: As Nuvens e Um Deus Chamado Pluto. Na adaptação de Hugo Possolo, o título ganhou o status de folha de cheque de conta conjunta: As Nuvens e/ou Um Deus Chamado Dinheiro.
A marca parlapatônica do humor ágil, com jogos de improviso e participação intensa da platéia, ganha os ares contemporâneos na antiga comédia grega. Simplesmente porque em Aristófanes todos estes elementos, fundamentais da relação do homem com o seu tempo através do riso, já estão contemplados.
É o que vai ser reapresentado nesse final de semana.
As outras atrações são:
Um Chopes, Dois Pastel e Uma Porção de Bobagem
De 06 de 08 de agosto
Sexta às 21h - Sábado às 21h e meia-noite - Domingo às 20h
Vaca de Nariz Sutil
De 13 a 15 de agosto
Sexta às 21h - Sábado às 21h e meia-noite - Domingo às 20h
Prego na Testa
De 20 a 22 de agosto
Sexta às 21h - Sábado às 21h - Domingo às 20h
O Papa e a Bruxa
De 27 a 29 de agosto
Sexta às 21h - Sábado às 21h - Domingo às 20h
U Fabuliô
De 03 a 05 de setembro
Sexta e Sábado às 21h - Domingo às 20h
Parlapatões Clássicos do Circo
De 01 de agosto a 05 de setembro
Domingos às 16h
Mais do Mesmo Mais Ainda Melhor
De 06 a 21 de agosto
Sextas a meia-noite – Sábado dia 21/08 a meia-noite
II Festival de Peças de UM MINUTO
De 27 de agosto a 04 de setembro
Sextas e Sábados meia-noite

Serviço:

Espaço Parlapatões
Praça Franklin Roosevelt, 158 - Centro (próximo ao Metrô República)
Fone: 3258-4449
De 30 de julho a 11 de setembro
De sexta a domingo, em horários variados
Ingressos: R$ 15,00 (inteira) e R$ 7,50 (meia)
Pacote Promocional*:
- Para três diferentes espetáculos R$ 40,00
- Para seis diferentes espetáculos R$ 70,00
*Não cumulativo com outras promoções.
Na bilheteria do Espaço Parlapatões ou pela Ingresso Rápido: www.ingressorapido.com.br - tel: (11) 4003-1212

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Ópera Rigoletto no Teatro São Pedro



Rigoletto, de Giuseppe Verdi, é a primeira montagem
de ópera da Orquestra do Theatro São Pedro
Criada pelo Governo do Estado de São Paulo e regida pelo maestro Roberto Duarte,
a nova Orquestra executa ópera com dois elencos, de quarta-feira (28.07) a domingo (01.08)
Talentos jovens e maduros vão se encontrar no clássico palco da Barra Funda para a primeira ópera montada com a participação da Orquestra do Theatro São Pedro. O maestro Roberto Duarte, 68 anos, comanda os músicos para a encenação dirigida por Lívia Sabag, 30. Rigoletto, do italiano Giuseppe Verdi, foi a ópera escolhida para a estreia que será realizada na quarta-feira (28.07), às 20h30. A montagem, com recursos tecnológicos, também ganha récitas na quinta e sexta-feira (29 e 30.07), às 20h30, e no sábado e domingo (31.07 e 01.08), às 17h. Rigoletto é uma realização do Governo do Estado de São Paulo, com produção da APAA - Associação Paulista dos Amigos da Arte. A ópera terá audiodescrição para portadores de deficiência visual, por meio de parceria com o Instituto Vivo.
“É um importante investimento para a cidade de São Paulo. Uma orquestra fixa possibilita que a cada ano sejam executadas mais óperas com qualidade na capital, que tem um público cativo para o gênero”, afirma o secretário de Estado da Cultura, Andrea Matarazzo.
“Os dois elencos se revezam nas cinco récitas. Solistas convidados e cantores escalados nas audições participam de um dos elencos. O objetivo é desenvolver novos nomes da música lírica em São Paulo”, afirma Roberto Duarte. “Cada cantor traz um ponto de vista diferente da obra e de seus papéis. É enriquecedor ter vários artistas criando para o mesmo espetáculo”, completa Lívia Sabag.
Entre os solistas, estão os experientes Lício Bruno e Sebastião Teixeira, que interpretam Rigoletto, a soprano argentina Laura Rizzo e a jovem Caroline De Comi, que fazem Gilda, e os tenores Miguel Geraldi e Sérgio Weintraub, que se revezam no papel do Duque de Mantova.
Ópera popular de Verdi, em três atos, com libreto de Francesco Maria Piavi, baseado na peça Le roi s’amuse, de Victor Hugo, Rigoletto foi montada pela primeira vez em 1851, no Teatro La Fenice, em Veneza. Em São Paulo, a primeira encenação foi em 1876 no extinto Teatro São José. A produção conta a história do Duque de Mantova, que se apaixona por Gilda, ingênua filha do corcunda Rigoletto. Após ter a filha sequestrada por cortesãos que a levam para o palácio, Rigoletto contrata Sparafucile para matar o duque. Influenciado por sua irmã Maddalena, que é apaixonada pelo duque, o assassino mata Gilda e entrega o corpo ao pai da jovem.


Serviço:
Theatro São Pedro
Sala Principal - 636 lugares (balcão 1 - 110, balcão 2 - 124, platéia - 396); 06 lugares para deficientes físicos na platéia (sendo 3 p/ acompanhantes)
Rua Barra Funda, 171 - Barra Funda (metrô Marechal Deodoro) - São Paulo - SP
Acessibilidade para Pessoas com Necessidades Especiais (exceção para balcões 1 e 2)
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Indicação Etária: 8 ANOS
Quinta-feira, 20h30
Sexta-feira, 20h30
Sábado, 17h00
Domingo, 17h00
Informações: (11) 3667-0499 (de quarta a domingo, das 14h até 19h)
Horário da bilheteria: de quarta a domingo, das 14h às 19h ou até o início do espetáculo; para os concertos matinais aos domingo, abertura às 10 horas
Cartões: Visa e Visa Electron
Venda Antecipada: www.ingressorapido.com.br / (11) 4003-1212

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Stomp no Brasil




O grupo de percussão Stomp se apresenta em quatro cidades brasileiras em agosto e setembro. A companhia traz ao país um novo show, com quadros repaginados e coreografias inéditas. A última vez que eles passaram pelo país foi em 2008.
Stomp é um famoso grupo de dança oriundo de Brighton, Reino Unido, que usa o corpo e objetos comuns para criar performances teatrais físicas percussivas. Suas origens musicais remontam ao trabalho do Einstürzende Neubauten e Savage Aural Hotbed.
A palavra stomp pode se referir a um subgênero distinto de teatro físico, onde o corpo incorpora-se a outros objetos como meio de produzir percussão e movimento que ecoa as danças tribais.
Os ingressos para São Paulo começaramm a ser vendidos no dia 30 de junho e já estão quase esgotados.
Confira as datas das apresentações, em São Paulo: 19, 20, 21 e 22 de agosto, no Credicard Hall.
Já estão definidas também as datas e locais de apresentação nas outras três cidades:
Rio de Janeiro: 28 e 29 de agosto, Citibank Hall/RJ
Curitiba: 31 de agosto, 01 e 02 de setembro, Teatro Positivo
Porto Alegre: 04 e 05 de setembro, Teatro do Bourbon Country

Serviço:
Stomp em São Paulo
Local: Credicard Hall - Av. das Nações Unidas, 17.955 - Santo Amaro
Site: www.credicardhall.com.br
Telefones para informações: 4003-5588
Temporada: de 17 a 25 de agosto
Horários: 3ª, 4ª, 5ª feira - 21h30; 6ª feira - 22h; Sáb, 17 e 22h, Dom, 16h e 20h
Ingressos: camarotes setor I – R$ 200; camarotes setor II – R$ 180; cadeiras do setor VIP - R$ 200; cadeiras do setor I - R$ 180; cadeiras do setor II - R$ 160; poltronas setor I – R$ 140; poltronas setor II – R$ 120. À venda a partir do dia 30 de junho no local, na internet e pelo telefone 4003-5588.

domingo, 25 de julho de 2010

Viajar com milhas

Várias companhias aéreas possuem um programa de milhagem que têm como objetivo a fidelização dos seus clientes.
Para cada trecho percorrido acrescenta-se um número X de milhas no cartão do passageiro/cliente.
Há também a possibilidade de converter os pontos de cartões de crédito, assinaturas de revistas, restaurantes, entre outros serviços, em milhas.
Mas, antes deve-se fazer um cadastro para poder usufruir desses benefícios, nos sites das companhias aéreas (o da TAM/Fidelidade é www.tam.com.br e o da GOL/Smiles é www.voegol.com.br).
Geralmente, com 10 mil pontos/milhas, podemos trocar por um trecho aéreo entre qualquer ponto da América do Sul (para as viagens intercontinentais exige-se um pouco mais), mas acontecem também muitas promoções.
Atualmente, essas duas empresas estão oferecendo uma promoção em milhas, onde podemos trocar 4 mil pontos/milhas por qualquer trecho dentro do Brasil.
Tem validade para voos entre 01 de agosto a 30 de setembro de 2010, mas já podem ser trocadas desde já (lembrem-se que o Fidelidade/TAM só troca passagens com sete dias de antecedência antes do embarque).
Quem tem disponibilidade pode aproveitar a promoção para fazer uma boa viagem e quem não tem férias nesse período (ela não vale para alguns dias que envolvem o feriado de sete de setembro), também pode aproveitar para passar um bom final de semana em alguma praia do Nordeste, saindo sexta à noite e voltando no domingo, também à noite (eu sugiro Fortaleza, Salvador ou Recife, que possuem vida noturna bem agitada, além de belas praias).
Vale a pena sempre abrir os sites dessas empresas e cadastrar o seu email, pois elas sempre enviam alguma boa dica de promoções desse tipo.
Aproveitem!

Uma semana em Salvador (BA)


Em agosto inicia o período que, no turismo, chamamos de "baixa temporada".
Naturalmente cai o número de pessoas que se deslocam a lazer entre as principais áreas do país e do mundo.
Por isso, surgem várias promoções de pacotes, passagens aéreas e hotéis.
Vale a pena aproveitá-las.
Para se ter uma ideia, a TAM e a Gol estão com uma promoção que envolvem pontos de milhagem em voos para todo o Brasil (dá para viajar com até 4 mil pontos por trecho).
Para quem pode, a cidade de Salvador, na Bahia é uma excelente dica para esse período.
No caso, prefira mais o mês de setembro para frente, pois ainda estamos no final das chuvas na capital baiana (importantíssimo: evite Salvador no mês de julho).
A cidade tem uma rede hoteleira bem variada, mas eu prefiro me hospedar no Bairro do Rio Vermelho, que está bem localizado em relação às praias e a agitação da vida noturna soteropolitana.
Fico sempre no Ibis, que é barato, prático e confortável (ao lado tem o Mercure e na frente o Pestana, para quem gosta de um pouco mais de conforto e piscina).
Inclusive, para quem gosta de restaurantes charmosos e que servem uma boa comida, o Rio Vermelho é o local mais indicado para apreciar essa boa gastronomia.
Na rua do hotel mesmo, aparecem três bons restaurantes, com cozinha apurada, pratos exclusivos e precinhos não muito salgados (perto do que é oferecido, é claro).
As dicas são: o Ciranda (é fundamental experimentar o Badejo com purê de banana da terra), a Confraria das Ostras, com a sua culinária baiana (eleito o melhor do gênero pela Veja Salvador) e o Volare Ristorante, com o seu linguini ao molho de camarão.
Existem também inúmeras opções de botecos e casas com música ao vivo (toca-se muito samba na região).
Para quem gosta de acarajés e abarás, o lugar é o tabuleiro da Dinha, situado no largo de Santana, no Rio Vermelho.
Desde a morte de Lindinalva de Assis, a Dinha, em março de 2008, a administração do movimentadíssimo tabuleiro armado no Rio Vermelho está nas mãos da filha Cláudia. Nesse verdadeiro ponto turístico - muita gente se refere ao Largo de Santana, onde está instalada, como a praça da Dinha - existem também outras opções de bares frequentados pelos soteropolitanos de classe média e também por neohippies.
Para quem gosta de praia, as melhores estão na parte norte da cidade (eu adoro a praia do Flamengo), inclusive aquelas localizadas fora de Salvador, como a Praia do Forte (charmosíssima, como Búzios, no Rio), famosa por sediar a principal base do Projeto Tamar, de proteção à tartarugas e, uma outra, da Baleia Jubarte ou então a Praia de Arembepe.
Vale a pena também visitar as ilhas da Baía de Todos os Santos, com praias de águas mornas e um tom maravilhoso de verde, como Itaparica (a melhor é a da Ponta da Areia), via Ferry Boat ou então a Ilha dos Frades (de escuna, via alguma agência de turismo local).
Se o dia estiver bonito, arrisque-se a pegar um catamarã, às 8h da manhã, e vá até Morro de São Paulo. O barco sai de uma marina em frente ao Mercado Modelo (para ser sincero, o melhor seria ficar uma semana, só em Morro de São Paulo).
Conhecer a Lagoa do Abaeté, em Itapoã, também é interessante, pois o lugar já esteve muito degradado, há tempos atrás, mas hoje está limpo e seguro (pode-se aproveitar um bom banho na lagoa de águas escuras, cercada por dunas incrivelmente brancas).
Na parte cultural e histórica, a cidade é quase imbatível.
O Pelourinho é parada obrigatória, tanto de dia, para conhecer bem a arquitetura e a história do local (as igrejas da Sé, de São Francisco e a matriz de São Salvador são obrigatórias), quanto de noite, para apreciar um pouco da cultura local e da boa culinária baiana (o Restaurante "Sorriso da Dadá", com as suas moquecas e bobós, é um deles).
Para compras no Mercado Modelo, utilize o Elevador Lacerda.
Para melhor se informar do que acontece, entrem em sites especializados ou então procure a agenda cultural distribuída pela Bahiatursa. Só evitem dar muita atenção a vendedores ambulantes (principalmente aqueles de fitinhas) e muito cuidado com os seus objetos pessoais e bolsas, pois como toda cidade grande e com excesso de turistas, tem um índice grande de furtos e roubos.
Os ensaios dos afoxés e grupos de percurssão, como o Olodum e a Didá, não são constantes, por isso se informem antecipadamente sobre essas apresentações.
A cidade também é bem servida de museus, galerias de arte e ateliês.
Vale a pena conferir alguma coisa dessa parte cultural (eu adoro o museu de geociências e o de Arte Sacra).
A Igreja do Senhor do Bonfim também é muito interessante, tanto para católicos quanto para não-católicos, mas cuidado, já levem as suas fitinhas, pois os vendedores do local vão conseguir lhe empurrar algo por um valor muito maior do que é justo (no Mercado doze fitinhas custam um real e os chaveirinhos que eles vendem por sete reais, não passam também de um real).
O Bonfim fica há quatro quilômetros do Pelourinho, pela Cidade Baixa.
Apesar da cidade ter uma boa sinalização, é importante ter um mapa em mãos para quem for alugar um carro (item que não é muito caro na cidade).
Praia, povo hospitaleiro e alegre, boa comida, cultura, bom divertimento e história, fazem da cidade de Salvador, um excelente destino dentro do nosso país.
Aproveitem!

sábado, 24 de julho de 2010

Elifas Andreato no Memorial da Resistência



O Memorial da Resistência de São Paulo apresenta a exposição “Elifas Andreato. As cores da resistência”, com cerca de 100 trabalhos, entre capas de discos, cartazes de peças teatrais, fotos de cenários, e semanários. A mostra fica em cartaz entre os dias 22 de maio e 24 e outubro e a entrada é gratuita.
A mostra evidencia a importância da arte de Elifas Andreato como instrumento de resistência política durante a ditadura militar.
Com um caráter marcadamente visual, retrata todos os aspectos da vida e obra de Elifas Andreato, com foco na resistência à ditadura militar.
Entre os trabalhos realizados nesse período estão: o cartaz para a peça de teatro Mortos sem sepultura, de Jean Paul-Sartre, e a capa do disco Nervos de Aço, de Paulinho da Viola.
Artista gráfico, cenógrafo e jornalista, Elifas Andreato nasceu em Rolândia (PR), em 1946. Na década de 70, colaborou com os semanários Opinião, O Movimento e a revista Argumento.
Atualmente, Elifas Andreato é responsável pela revista Almanaque Brasil de Cultura Popular. Com 100 mil exemplares/mês, a revista divulga aspectos da cultura e da história do Brasil.

Serviço:
Memorial da Resitência (anexo à Estação Pinacoteca)
Largo General Osório, 66 - Luz (Metrô Luz) - Telefone: (11) 3335.4990, ramal 27
Grátis
De 22/05 a 24/10
Terça a domingo das 10:00 às 17:30

Adoniran no CCSP



De 7 a 29 de agosto o Centro Cultural São Paulo (CCSP) faz uma homenagem ao sambista Adoniran Barbosa, em comemoração ao ano de seu centenário.

Veja a programação completa:

07/08/2010
Maria Alcina e Vânia Bastos

08/08/2010
Fabiana Cozza, Osvaldinho da Cuíca e Milena

14/08/2010
Cida Moreira e Passoca

15/08/2010
Cauby Peixoto e Célia

21/08/2010
Virgínia Rosa, Maurício Pereira e Markinhos Moura

22/08/2010
Wanderléa, Thomas Roth e Márcia Castro

28/08/2010
Eduardo Gudin e Tetê Espíndola

29/08/2010
Demônios da Garoa e Quinteto em Branco e Preto

Serviço:
Centro Cultural São Paulo (CCSP)
R. Vergueiro, 1000 - Paraíso (Metrô Vergueiro)
Telefone: (11) 3397-4002.
Grátis
•Domingos às 18:00
•Sábados às 19:00

terça-feira, 20 de julho de 2010

Anima Mundi 2010


Está sendo realizado até o dia 25 desse mês, na cidade do Rio de Janeiro a 18ª edição do festival internacional de animações do Brasil, conhecida como "Anima Mundi".
Em São Paulo o festival acontece entre os dias 28 de julho e 1º de agosto.
É considerado o maior evento do gênero no nosso país, que visa informar, formar, educar e entreter utilizando as infinitas possibilidades da linguagem de animação.
Apesar do Brasil não ter nenhum selecionado na parte de longas, teremos cerca de 50 curtas de animação produzidas aqui, em terras tupiniquins.
Para esta edição, os diretores receberam mais de 1500 inscrições (300 só do Brasil) e selecionaram 452 filmes de vários países, como França, Alemanha, Austrália, Israel, Polônia, Argentina, Taiwan, Letônia, Coréia do Sul, Finlândia, Rússia, Singapura e China, além da estreante República da Macedônia (confira a lista completa no site do festival, no www.animamundi.com.br).
Na cidade de São Paulo, as exibições acontecem em dois endereços. Confira a seguir:

Fundação Memorial da América Latina
Av. Auro Soares de Moura Andrade 664 - Barra Funda

Informações: (11) 3823-4600

Horário de funcionamento: 11h às 24h

Vendas Online: a partir de 23 de julho, pelo site da INGRESSO RAPIDO. O público poderá retirar os ingressos antecipados e comprar ingressos na bilheteria nas datas e horários abaixo:

De 23 a 26 de julho - Das 09:00 as 18:00hs
De 27 de julho a 01 de agosto - Das 09:00 as 23:00hs.

Ingresso: R$ 6,00 (meia entrada R$ 3,00)

Vendas antecipadas para todos os dias

Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)
Rua Álvares Penteado, 112 - Centro

Informações: (11) 3113-3651, 3113-3652

Horário de funcionamento: 10h às 20h

Ingresso: R$ 6,00 (meia entrada R$ 3,00)

Vendas antecipadas para todos os dias

As sessões no Auditório do CCBB são gratuitas, com distribuição de senhas com antecedencia de 1 (uma) hora a sessão.